Total de visualizações de página

sábado, 26 de janeiro de 2013

AMANHÃ! TALVEZ!

Minhas Fotos - 2013





Sou feita de tempo!
Feita  de mar!

De nuvem!
Sol!
Ventania e amanhã!

Amanhã!

Que não sei!
Nada sei sobre amanhãs!

Só sei,
Que o amanhã tem asas de colibri!
E subitamente!
Amanhã, nunca mais!

Um violino toca,
Enquanto  o sol se põe!





Tenham um lindo fim de semana!
Beijos!
Jossara Bes.


13 comentários:

  1. Oi, querida Jossara!

    Que lindo poema!
    Que incedntivo à vida e à autoestima.
    Estou com você: o amanhã será sempre um colibri, uma luz e um beijo maravilhoso e doce.

    Bom final de semana.
    Beijo da Luz, com carinho.

    PS: novo post, no "Afetos e Cumplicidades". Aguardo, você. Obrigada, querida.

    ResponderExcluir
  2. Olha, querida amiga!

    "Amanhã, talvez", julgo ser o nome de uma canção de Joana, artista brasileira.
    Gosto muito, demais, dessa canção.

    Lindo fim de semana, com amor.

    Beijos da Luz, com estima.

    ResponderExcluir

  3. Estou a 7 anos na blogosfera : A viagem é o casula
    hoje completando 2 anos de vida.
    Quantos momentos alegres e triste também
    faz parte da nossa jornada.
    Deus permita muitos anos de vida para mim e meu blog
    um mundo fantástico.
    Onde nossas amizades sem face completa de maneira
    sobrenatural minha vida.
    Obrigada pelo seu carinho por fazer parte da minha caminhada
    muitas vezes cansada ou meu caminhar um pouco mais lento.
    Hoje deixo na postagem mil carinhos para você
    um mimo desse dia feliz.
    E o sorteio de mais 2 livros meus não
    importa qual Pais será ganhador receberá com certeza com muito amor.
    Pode até pensar porque sorteio tantos livros meus não é mesmo?
    Por ele ser bom e de alguma forma deixar um pouco de mim para vocês.
    Meu eterno carinho.
    Um feliz final de semana.
    Beijos na alma e no coração.
    Evanir.

    ResponderExcluir
  4. Há sempre um amanhã.
    Eu não tenho dúvidas.
    Assim cantam os Iris:

    Há noites sem dormir
    E no meio da escuridão
    Há uma lágrima a cair
    Tens sempre a sensação
    De que nada te dá razão
    P'ra voltar a amanhecer

    Há sempre um amanhã
    Há sempre um sonho
    E um dia p'ra viver uma emoção
    Há sempre um amanhã
    Há sempre um amigo, contigo
    A quem possas dar a mão

    Há o dia sem fim
    Em que tudo o que há p'ra fazer
    É sempre um jogo a perder
    Sai e luta por ganhar
    Vê que perder é morrer
    E há sempre um dia a nascer

    Há sempre um amanhã
    Há sempre um sonho
    E um dia p'ra viver uma emoção
    Há sempre um amanhã
    Há sempre um amigo, contigo
    A quem possas dar a mão

    De cabeça erguida
    (há sempre um sol a nascer)
    Entre a multidão
    (Há uma guerra a vencer)
    Não há uma guerra perdida
    (Há sempre um dia a nascer)
    És tu a razão (um amanhã)

    Um beijo cá deste meu Algarve

    ResponderExcluir
  5. Oi Jossara,
    O poema está lindo, muito doce.
    Beijos 1000 e um ótimo final de semana para vc.

    GOSTO DISTO!

    ResponderExcluir
  6. Amanhã!
    Que não sei!
    Nada sei sobre amanhãs!
    Lindoooooooooo demais! Amei!
    Querida, tenha um ótimo final de semana e um começo de semana maravilhoso, parabéns, lindo poema.

    ResponderExcluir
  7. Passei, entrei, e resolvi ficar!!!

    ResponderExcluir
  8. Oi Jossara!
    Lindo teu poema...doce acalento!
    Um violino toca,
    Enquanto o sol se põe! Inspirador!!!

    Beijos, amada..Fiques com Deus!!!
    ♥ O/ ♥
     /▌
     /\

    ResponderExcluir
  9. Oi Jossara, lindo o poema, encontrei seu blog e já estou seguindo. Ficarei feliz em recebe-la no meu cantinho. Tenha uma linda noite.
    Val

    ResponderExcluir
  10. Dulce Poesía entre el canto de un colibrí y la melodía de un Violín.
    Preciosa.
    Um abraço e beijos.

    ResponderExcluir
  11. Oi Jossara,

    que encanto de poesia, haverá muitos amanhãs para celebrarmos a vida.

    Bejim e uma ótima semana.

    ResponderExcluir
  12. E essa música que o violino entoa anuncia que o amanhã tem todas as possibilidades para a felicidade. Lindo Poema!!!

    ResponderExcluir
  13. .


    O violino toca e o sol
    se põe. Uma garota no
    meio das pernas com o
    vestido amarrado retorna
    à casa para dormir com
    a noite o sono das estre-
    las.

    Adorei o que li, por aqui.

    Beijos,

    silvioafonso






    .

    ResponderExcluir